Estados Unidos

Palm Beach e região: a Flórida luxuosa que os brasileiros ainda não desbravaram

Não é nenhuma surpresa que, quando o assunto é viagem aos Estados Unidos, o destino disparado na preferência dos brasileiros seja a Flórida. No entanto, enquanto a maior parte da atenção fica em Orlando – com o encantado mundo da Disney – e em Miami – com suas badaladas praias – outras cidades do estado, como Palm Beach e seu entorno, também merecem destaque.

Localizada a leste do estado, a região de Palm Beach – que é chamada de ‘Palm Beaches’ –  é composta por 39 cidades e possui mais de 76 quilômetros de praias de areia branca e água azul. Por lá, a temperatura média durante todo o ano é de 23°C. Não é coincidência, portanto, que a região seja tão atraente durante os meses de dezembro e janeiro, enquanto o resto do país sofre com baixíssimas temperaturas. Nesta época os pássaros migram para o sul – e por isso nasceu a expressão snowbirds – muito utilizada na região. É desta forma que são chamados os americanos que moram em lugares frios e passam o inverno na Flórida.

Palm Beach está praticamente no meio do caminho entre Orlando e Miami. No entanto, ao contrário das duas cidades que vivem abarrotadas de turistas, Palm Beach é bem mais tranquila e costuma ser usada como refúgio de endinheirados – inclusive famosos – que a escolhem para suas casas de veraneio. Donald Trump é um deles. Sua mansão, na Ocean Boulevard, que tem o nome de ‘Mar-a-Lago’, é avaliada em pelo menos US$ 200 milhões.

Com moradores – mesmo os temporários – que representam boa parte do PIB americano, luxo e sofisticação são requisitos básicos na cidade. Para se ter uma ideia, no mesmo local onde está a nada humilde casa do atual presidente, também funciona – separadamente – um clube privativo. Para se tornar membro é preciso desembolsar US$ 200 mil e pagar uma anuidade de cerca de US$ 15 mil. Ou seja: privilégio para poucos.

Na vizinhança e por outros cantos da cidade há residências de outros milionários famosos como a apresentadora Oprah Winfrey. As propriedades são tão grandes que facilmente poderiam ser transformadas em centros comerciais. Dar uma olhada nessas ‘casinhas’ é um passeio interessante já que muitas delas, além de belas obras arquitetônicas, também são históricas. Inclusive é possível fazer um tour guiado de bicicleta pelas ruas onde elas ficam e saber muitas informações a respeito de cada uma.

Uma delas, por exemplo, pertenceu à família Kennedy por 62 anos. Foi lá que o ex-presidente americano John F. Kennedy passou as férias da infância à vida adulta, e também foi onde organizou reuniões com colaboradores e concedeu entrevistas coletivas durante seu mandato. Ele chamava a residência de “Casa Branca de Inverno”. O último final de semana de sua vida, antes de ser assassinado em Dallas, Texas, em 22 de novembro de 1963, foi passado na casa junto de sua família.

Para continuar a ver de perto o estilo de vida de quem tem dinheiro de sobra, ou quem sabe fazer umas comprinhas se o bolso permitir, a Worth Avenue é o lugar certo. O endereço reúne lojas como Chanel, Gucci, Jimmy Choo, Salvatore Ferragamo, Louis Vuitton, Max Mara, Michael Kors entre outras que exigem como pré-requisito principal um cartão de crédito ilimitado.

Todas as quartas-feiras entre dezembro e abril (exceto feriados) a associação da Worth Avenue promove um walking tour de 1 hora e 15 minutos pelo local e explica sobre a histórica avenida, incluindo a arquitetura, sua influência da moda e a evolução de Palm Beach como destino turístico. O passeio custa US$ 10 por pessoa.

Outro destaque que torna a região de Palm Beach um verdadeiro paraíso para quem não precisa se preocupar em fazer malabarismos para pagar as contas é bastante charmoso: o golfe. O condado é conhecido como a capital mundial do esporte e não à toa: existem na região 160 campos de golfe e pelo menos 40 deles são públicos.

Lendas do golfe de renome mundial residem na região, como Ernie Els, Rickie Fowler, Rory McIlroy, Jack Nicklaus e Camilo Villegas. Nomes completamente desconhecidos para nós brasileiros, mas fãs de futebol podem facilmente compará-los a jogadores como Pelé, Messi, Cristiano Ronaldo e por aí vai…

O talentosíssimo e multibilionário Tiger Woods – que poderia ser o equivalente ao nosso Neymar (só que um pouco mais rico que o brasileiro) – também vive por lá, na cidade de Jupiter, onde possui um restaurante esportivo chamado The Woods.

Diversão acessível

Embora a região sirva perfeitamente àqueles que podem se dar ao luxo de gastar à vontade, também possui muitas opções acessíveis para quem faz viagens econômicas. A começar pelo o que há de mais básico no menu de um destino de praia que são atividades na água.

A maioria das cidades do condado possuem agências que levam turistas a passeios de barco, caiaque, canoagem, prática de snorkeling e stand-up paddle. Durante os passeios muitas vezes é possível observar tartarugas e leões marinhos, além da biodiversidade da região.

Uma dessas agências é a Jupiter Outdoor Center que tem em seu staff um funcionário, o Rob, que fala português fluentemente. O estabelecimento oferece passeios guiados, aluguel de equipamentos e até mesmo aulas de atividades como stand-up paddle. Os valores variam de acordo com a atividade escolhida. O local também oferece aulas de preservação ambiental gratuitas a grupos de jovens.

Se a ideia é continuar na vibe de aproveitar a natureza de Jupiter e ainda fazer um exercício, o Riverbend Park tem entrada gratuita e oferece um espaço de 260 mil km² para isso. No local, o visitante pode fazer trilhas acompanhados por um guia, alugar uma bicicleta, um caiaque ou simplesmente caminhar um pouco para curtir o ar puro. O parque possui vegetação e vida animal abundante. Por lá é possível encontrar desde jacarés e cobras a alces e perus selvagens.

Para conhecer o parque são fundamentais alguns itens de ‘sobrevivência’: repelente, muito repelente, roupas confortáveis, tênis velhos e macios, água, protetor solar e, de preferência, uma mochila levinha para colocar o que você precisar carregar. Também é recomendável andar sempre na expectativa de se deparar com uma cobra (não enorme), desta forma você não passará vergonha fazendo um escândalo, até mesmo porque o guia não deixará o animal chegar perto.

O Jupiter Inlet Lighthouse and Museum, também se trata de um lugar de contemplação, pois oferece um dos pores-do-sol mais fabulosos do condado. Além disso também é repleto de misticismo: o farol de 47 metros de altura construído em 1860, está em um ponto de terra onde há cerca de 5 mil anos foi um local de encontro de antigas tribos indígenas que chegavam pelo Rio Loxahatchee e Jupiter Inlet.

Desde 1994, a Sociedade Histórica do Rio Loxahatchee, órgão sem fins lucrativos que faz a gestão do local, conduz visitas públicas regulares ao topo do farol. Aliás, o calendário do museu é agitadíssimo. Há aulas de pesca, caminhadas históricas educativas, yoga ao pôr do sol, tour no farol à meia-noite, contação de histórias para crianças, clube de livros, noites de comidinhas e bebidinhas…

As atividades precisam ser agendadas com antecedência e a maioria é gratuita. Entre as atrações pagas, a mais cara é a noite de comes e bebes que custa US$ 75 por pessoa.

Voltando a Palm Beach, um lugar imperdível para conhecer com a família é o complexo The Society of the Four Arts com entrada gratuita. No mesmo espaço estão um jardim botânico com diversas espécies de plantas, o jardim de esculturas Philip Hulitar Sculpture Garden e duas bibliotecas – incluindo uma apenas para crianças.

O Society of the Four Arts é uma organização cultural sem fins lucrativos estabelecida para incentivar o crescimento cultural da comunidade. Os visitantes podem ver exposições de arte, ouvir palestrantes famosos, comparecer a seminários informativos e curtir concertos, exposições e muitas outras atrações culturais.

Compras? Queremos!

Nem todo mundo tem dinheiro para gastar na Tiffany ou na Chanel da badalada Worth Avenue, mas quem resiste a umas comprinhas em lojinhas mais modestas, não é mesmo? Localizado numa região bem central de Palm Beach está o City Place, uma espécie de mini shopping a céu aberto com algumas opções de lojas e restaurantes. Vale o passeio para quem está hospedado perto e pode chegar ao local caminhando.

Por lá existem lojas como H&M, Victoria’s Secret, Anthropologie, Sephora, Bath and Body Works e mais algumas. Já as opções de restaurantes são bem melhores, embora as franquias conhecidas pelos brasileiros sejam apenas o Starbucks e a Cheesecake Factory. Há desde comida tailandesa à italiana e ainda existe muita variedade de sobremesas.

Algumas noites há shows ao vivo gratuitos na praça central do local – que fica toda iluminada com luzes coloridas. Aproveite para curtir o som, tomar um drink e jogar conversa fora – e o melhor: sem gastar muito.

O Palm Beach Outlets, em West Palm Beach, já eleva o assunto compras para um outro nível. Não se trata de um lugar para quem gosta de dar uma ‘olhadinha’ rápida e ir embora, pois é gigantesco como todos os outlets americanos. No entanto, quem é louco por pechinchas vai adorar ir a lojas como Bed, Bath and Beyond, Carter’s, TJ Maxx, Old Navy e Ross.

Apague tudo o que você já viu nos outlets de Miami e Orlando, pois nesse não há lojas lotadas, filas enormes e nem um monte de gente falando português ao redor já que a maioria dos brasileiros ainda não descobriram a região. Mesmo assim reserve algumas horas para andar sem pressa pelas lojas e verificar se os preços realmente compensam. Afinal, nem tudo que é vendido em um outlet é tão barato assim.

Serviço:

Onde ficar

Hilton West Palm Beach

PGA National Resort & Spa

Onde comer

The Regional

Guanabanas Restaurant

The Cooper

A jornalista Tuka Pereira do blog Pra Onde Vai Agora? viajou a convite do Discover The Palm Beaches e Avianca Brasil. A profissional ficou conectada durante toda viagem usando o Sim Card internacional da EasySim4You.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *