Europa

Fãs fazem viagem à história dos Beatles em passeio guiado por Londres

A Inglaterra tem uma imensurável importância para o cenário musical mundial. Ao longo dos anos, a terra da rainha foi responsável por apresentar ao mundo ícones do rock como The Cure (1976), Sex Pistols (1975), Depeche Mode (1980), David Bowie, Joy Division (1976), Pink Floyd (1965), The Who (1964), Black Sabbath (1968), Led Zeppelin (1968), The Rollings Stones (1962), Queen (1970), entre dezenas de outros. Todos compuseram (e alguns ainda compõem) músicas inesquecíveis e possuem milhões de fãs de todas as gerações.

Nenhuma outra banda inglesa, no entanto, causou e ainda causa tanta euforia quanto Os Beatles. Criado no início nos anos 60 em Liverpool, na Inglaterra, o quarteto formado por John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr e George Harrison revolucionou a história da música. Eles quebraram recordes de vendas de discos, atraíram multidões para seus shows, emplacaram dezenas de hits entre os top 10 da parada americana e influenciaram incontáveis outros músicos mundo afora.

Passados quase 50 anos do anúncio do fim da banda feito por Paul McCartney (em 10 de abril de 1949) durante entrevista de seu primeiro disco solo, Os Beatles ainda mantém o posto de banda mais icônica de todos os tempos. Nem mesmo a morte de Lennon, assassinado em 1980, por Mark David Chapman – foi capaz de destituir o grupo de seu lugar inatingível no coração dos apaixonados por suas músicas.

Foi em Londres que os garotos de Liverpool foram impulsionados para a fama mundial e até hoje a cidade possui uma relação muito especial com a banda. São vários os lugares pelos quais o quarteto passou na capital inglesa e que ainda atraem visitantes saudosistas em busca de uma conexão com os músicos.

Especialmente para estas pessoas, alguns passeios sob medida mostram os cantinhos mais importantes da cidade relacionados aos Beatles. Um deles, o London Rock tour, faz o ‘Ticket to Ride – Beatles Tour’ que leva os beatlemaníacos a 50 locais diferentes em um micro ônibus.

A frente do passeio – que dura cerca de duas horas e meia – um guia completamente fanático pela banda inglesa (e também por várias outras) conta com riqueza de detalhes acontecimentos que soam tão empolgantes como se tivessem acabado de acontecer. No meu caso, o guia foi Patrick, um senhor aposentado que curtiu intensamente o auge da Beatlemania. Portanto, não é exagero dizer que, quem realmente é fã do quarteto faz uma bela imersão na história da banda e de seus integrantes.

Eis alguns dos locais mais interessantes do passeio:

Abbey Road

Em 1969, após quase dez anos de convívio, John, Paul, Ringo e George estavam com sua relação insuportavelmente abalada e prestes a dar um fim na banda. No entanto, antes que isso acontecesse, eles ainda tinham compromissos contratuais a cumprir e entre eles estava o lançamento de um álbum.

Como o clima entre eles não estava dos melhores e a gravadora queria se livrar da encrenca o quanto antes, quando Paul (reza a lenda que tenha sido ele, mas também há quem garanta ter sido Ringo) sugeriu que a foto da capa do disco fosse tirada na faixa de pedestres em frente aos estúdios da EMI, todos acharam uma ótima ideia.

Foi então que em 8 de agosto de 1969 às 11h30, um policial ajudou a interromper o trânsito no local enquanto o fotógrafo escocês Iain Macmillan subiu em uma escada portátil posicionada no meio da rua. Durante 15 minutos ele tirou apenas seis fotos enquanto os quatro andavam de um lado para outro na faixa. Uma delas se tornou a capa do disco Abbey Road, o último gravado pelos Beatles.

Reprodução
A icônica foto tirada no cruzamento mais famoso de Londres

O disco foi lançado em 26 de setembro de 1969 e vários elementos fizeram de sua capa uma das mais icônicas da história da cultura pop. Teorias bizarras sobre a “morte” de Paul McCartney foram formuladas. Na imagem ele aparece descalço, com o passo trocado em relação aos companheiros e com o cigarro na mão direita (Paul é canhoto) e estes seriam apenas alguns dos indícios que indicariam que o cantor estaria morto.

Depois daquela manhã de agosto de 1969 aquele cruzamento localizado em uma rua até então pacata nunca mais foi o mesmo. Quase 50 anos depois que o quarteto se enfileirou para fotografar a capa de seu último álbum, não há um único dia sequer que fãs de todo o mundo não disputem sua vez para atravessar aquela faixa e imitar a famosa foto.

Malcolm Griffiths
Eu e colegas jornalistas tentando copiar a pose da capa do disco

A placa da rua que indica o nome – Abbey Road – sequer aparece na capa do álbum dos Beatles. E, mesmo assim, em 2007, ela teve de ser removida do local pela prefeitura de Londres por conta da alta incidência de pichações, roubos e rabiscos.

Para ter uma ideia de como é o local, uma câmera faz o monitoramento do cruzamento ao vivo 24 horas por dia: https://bit.ly/30LN0BQ

Apple Records

Em 30 de janeiro de 2019 completou 50 anos que o quarteto mais famoso do mundo subiu no topo do edifício da Apple Records e tocou pela última vez em frente a uma plateia. Aquela apresentação ficaria conhecida como Apple Rooftop Concert.

Reprodução
O prédio localizado no número 3 da Savile Row atualmente

Naquele fatídico dia, eles estavam reunidos no número 3 da Savile Row, no bairro de Mayfair, em Londres, fazendo um filme sobre o processo criativo dos Beatles no estúdio, durante gravações do que seria o disco Let it be. Para o final estava programada uma apresentação ao vivo: a primeira desde o último ocorrido em San Francisco em 1966.

Os Beatles compraram o prédio no verão de 1968 e instalaram o estúdio no porão. Na hora do almoço naquele janeiro de 1969, eles subiram as escadas em direção ao telhado e tocaram pela última vez juntos, por cerca de 42 minutos, até serem interrompidos pela chegada da polícia. Sim, acredite: alguém chamou a polícia reclamando dos Beatles!

Reprodução
A última apresentação ao vivo dos Beatles aconteceu no alto daquele telhado

Lá embaixo, na rua, uma multidão incrédula de pessoas começava a se juntar sem entender muito bem o que estava acontecendo. Ao se dar conta de que os responsáveis pelo barulhão que vinha do alto daquele prédio era a banda mais famosa do momento, a maioria ficou eufórica, à beira de um ataque de nervos. Em um dia cinza, bem típico de Londres, aqueles poucos sortudos foram coadjuvantes da parte mais inesquecível do documentário Let it Be, lançado em maio de 1970, um ano após ser gravado junto com um álbum homônimo.

Apartamento de John Lennon e Yoko Ono

Muitas histórias incríveis devem ter acontecido no apartamento situado no subsolo e primeiro andar da 34 Montagu Square. Em 1965 o local foi comprado por Ringo Starr e alugado para o companheiro de banda, Paul McCartney. Depois disso quem viveu no endereço foi ninguém menos do que o guitarrista Jimmi Hendrix.

Em 1968, John Lennon e Yoko Ono se mudaram para lá e foi ali que fotografaram a emblemática foto da capa do álbum Two Virgins, no qual os dois aparecem nus.

O apartamento também foi o endereço onde Lennon e Ono foram presos por posse de maconha em 18 de outubro de 1968.

Veja todos os pontos por onde o tour passa aqui:

Ticket To Ride

Adultos – £35.00

Crianças – £25.00

A jornalista Tuka Pereira viajou a Londres a convite do Visit Britain, conselho de turismo da Grã-Bretanha, e da companhia aérea Norwegian.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *